quinta-feira, 29 de abril de 2010

eu quero


(poesia)

porque quero uma vida só minha
em que dedos em riste, abusados
apenas apontem para o outro lado
que queira e possa abusar da gula
e que os manuais e as dietas, mágicos
não passem do portão
quero andar pelado pelo quintal, e
dizer poemas de gente interessante
dormir com todas as luzes apagadas
levantar sem a certeza de que clareou
traduzir espontaneamente o desejo e,
sem os grilhões existenciais que escraviza
não adorar a qualquer divindade, nunca, pois
jurar que a natureza saiba o que faz sempre
acreditar que quem tenha 32 dentes
possa causar suspeição entre os iguais
que meus amigos possam me amar sem me ver
que tire onda por ai igual gandaia
sem deslize é um universo particular
onde ninguém olha, tampouco se espelha
ter um pássaro majestoso que pode sumir
me representando na foto na maior
não me utilizar de subterfúgios idiotas
para me atirar nem ai na lombra, funesto
que até pareça exótico, se é que me entende
achar que Drummond, Neruda, ou Rosseuau
narraram a mesma epopéia com intuito diverso
respirar a maresia quando acham que alga incomoda
poder ler tal actinomante os destinos das criaturas
e reverberar incógnito pelas veredas da vida
e não parecer que está enchendo lingüiça
como inadivertidamente se diz por ai
que saia de cena como entrei, sem delonga
desejando que amanhã outro dia apareça.

Dedicatória: dedicado a leitores do saite

Publicado em 06/03/2010 03:19:35 - 15 leituras



3 comentários:

  1. A minha vida toda procurei por esse ser que fale a minha língua, que escreva o que quero ler que seja meu par, minha alma gêmea, meu outro lado de mim, ainda que virtual e, de repente não mais que de repente eu o encontro nessas buscas despretensiosas que achamos que não vamos encontrar nada e lá estava ele, acho mesmo que ele nem existe é fruto de alguma mente que o manipula, alguém muito maior que ele. Obrigado por existir sendo criador ou criatura, rsrsrsrsrsrs.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Adnan!

    Visitando teu mundo constato a beleza cantada nesse poema. Toda a beleza versada, palavreada, e semeada aos olhos daquele que ama a poesia.

    Parabéns e sucesso pelo dia que brilha!!

    DeahCristina!

    ResponderExcluir